22
maio
2018

Indefinição da economia preocupa hotelaria da Região das Hortênsias

A alta de 11,3% do dólar em relação ao real em 2018 ainda não reflete no turismo interno. A opinião é do Presidente do SindTur Serra Gaúcha, Fernando Boscardin que aponta outros fatores para a falta de crescimento no movimento turístico da Região das Hortênsias: a cautela do consumidor brasileiro diante de uma previsão mais fraca de crescimento do PIB e o excesso de oferta hoteleira, especialmente em Gramado. Citando uma informação recentemente veiculada pela Prefeitura de Gramado dando conta de que estão em construção ou projetados um total de 6 mil apartamentos de hotelaria, Boscardin acredita que o aumento de oferta irá prejudicar ainda mais o setor. Ele prevê que o valor médio das diárias poderá cair. Fernando Boscardin mostra preocupação com a temporada de inverno, um dos períodos de maior ocupação na hotelaria da Região das Hortênsias. Para ele, junho, julho e agosto ainda são incógnitas. “É ano de Copa do Mundo e de eleição. A última experiência, em 2014, tivemos o pior mês de julho dos últimos 10 anos”, alerta o presidente do SindTur.