30
ago
2018

Ubiratã Oliveira vota contra paralisação dos médicos do Hospital e pede responsabilidade

A decisão por maioria simples na Assembleia do Corpo Clínico do Hospital São Miguel em aguardar 20 dias para uma paralisação caso os vencimentos em atraso não forem colocados em dia teve os votos contrários de apenas dois profissionais. Ubiratã Oliveira e Marcio Muller optaram em não apoiar uma eventual paralisação. “Não se trata de ser a favor ou contra o Prefeito e sim ter maturidade para entender o momento difícil que o Hospital passa por conta da dívida contabilizada em torno de 9,4 milhões deixada nos últimos dois anos e meio no período da Intervenção”, disse Bira.

Segundo relato, “fui chamado pelo Governo na semana passada no Paço Municipal para reunião com o Chefe do Poder Executivo, mais o Secretário da Fazenda, Procurador do Município, Contador geral e Comissão Interventora para opinar no intuito de sair da crise da Instituição Hospitalar”, comentou. Bira foi além. “Sou contrário a paralisação dos colegas médicos para não prejudicarem a população desse essencial e nobre serviço de saúde médico hospitalar, a paralisação será maligna para a população e para os médicos”, disse Ubiratã.

Falando como vereador, o médico Ubiratã Oliveira comentou que “como Progressista e Líder da Oposição, temos responsabilidade com a comunidade e com o Hospital, o problema enfrentado pelo Hospital é de responsabilidade da Prefeitura, mas também dos legisladores municipais, queremos médicos trabalhando com disposição e salários pagos em dia”, finalizou o Dr. Ubiratã Oliveira.