3
dez
2018

Nem a chuva fina foi capaz de tirar o brilho da Chegada do Papai Noel

Nem a ameaça da chuva foi capaz de afastar o público de mais de 20 mil pessoas, sábado (1), da frente da Catedral de Pedra, em Canela,  para assistir a terceira  e última exibição do espetáculo “Chegada do Papai Noel”. Pouco antes das 21 horas, caía uma chuva fina em Canela e a temperatura era de apenas 13 graus. Mas o mau tempo deu uma trégua e, dez minutos depois do programado, começou um dos espetáculos mais aguardados da programação do Sonho de Natal. O espetáculo começou em alta voltagem, com a canção Hallelujah, de Leonard Cohen, arrebatando o público pela emoção.  A Athmosphere Orchestra foi perfeita, sob a regência do maestro Fábio Ostrovski, e dos solistas: soprano Raquel Fortes, da mezzo soprano Clarice Diefenthäler e do tenor Maicon Cassânego, que interpretaram um repertório clássico natalino. Destaque também para as doces vozes do coral infantil e pelo show do grupo vocal.  No final, a chuva fina voltou, mas Papai Noel não se intimidou. Com a garra de um menino, o “bom velhinho” apareceu no alto da torre da Catedral de Pedra, e foi muito aplaudido. Sua decida pela tirolesa, acompanhada pelos ajudantes alpinistas, aconteceu sob gritos de euforia e encantamento.

A magia da noite ganhou um toque especial com o show de luzes e efeitos especiais, coroados, ainda, pelos fogos de artifício que encerraram a noite.

O prefeito de Canela, Constantino Orsolin, era um dos mais emocionados com o sucesso do espetáculo. “A terceira chegada, apesar da chuva, foi brilhante. Tudo é muito novo, muito diferente”, afirmou Orsolin. “Se evoluiu muito, mas temos um campo aberto para evoluir”, complementou o prefeito.

Foto: Rafael Cavalli/Serra Press